terça-feira, 11 de junho de 2013

Quiçá outras vidas...

Milhares de desencontros e nenhum encontro se quer, e aí eu pensei, não era pra ser, e durante muito tempo realmente não foi, mas na verdade, já tinha sido, não nessa vida, e sim em vidas passadas, eu te perdi antes e agora você me encontrou.
Naquele dia eu estava perdida, sem norte, sul ou essas coisas todas, e daí eu te encontrei, assim tão maior que eu, de uma forma que eu pude me encaixar perfeitamente no meio do teu peito e no teu abraço, confesso a minha vontade de querer ficar ali durante muito tempo, foi quase como se eu estivesse sendo salva desse mundo insano, quase como se nada mais fosse importante ou real, você não sabia, mas ali eu era praticamente uma criançinha que ainda está dando os seus primeiros passos, e em meio a esses passos caiu, chorou, e estava desesperada atrás de um colo, e você me deu, sem eu pedir, e isso foi tão bonito.
E tudo ficou mais calmo, em paz, sereno e claro.
E desde então eu não quis mais ir embora, e eu sempre quero ir embora, e desde então foi quase como se as coisas entre nós se completassem de uma forma que vai além do que nós mesmos somos capazes de compreender, e desde então o teu abraço se tornou um dos meus lugares favoritos, feito aqueles lugares só nossos que a gente corre para ver se as coisas ficam melhores quando nada vai bem.
Eu não sei o que aconteceu nessas coisas passadas, porém sei o que está acontecendo aqui e agora, e é algo tão simples e bonito que me faz querer esquecer de todo o resto, até porque certas coisas precisam de tempo, muito tempo, e acho que isso não importa tanto, afinal: "temos todo o tempo do mundo..."

Ps: "Foi quando conheceu uma menina e de todos os seus pecados ele se arrependeu..."

Um comentário:

  1. Não tenho palavras para dizer o quanto amei o seu texto! Muito lindo ♥

    ResponderExcluir